Em 2 anos, painéis de energia solar no Brasil crescem de 7 mil para 49 mil

Avalie este Artigo

Estudo do Ipea afirma que o país está cumprindo a meta da ONU de investir mais em fontes limpas e renováveis até 2033.

Resultado de imagem para placas fotovoltaicas

A energia solar no Brasil avançou mais de dez vezes em dois anos. Segundo o levantamento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, ligado ao Ministério da Economia, o país está cumprindo a meta da ONU de se investir mais em fontes limpas e renováveis até 2030.

Cataventos gigantes se multiplicaram rápido pelo território brasileiro. Já são mais de sete mil espalhados por aí. Juntos, produzem mais energia que a hidrelétrica de Itaipu. Hoje, 80 milhões de brasileiros são abastecidos pelo vento.

Os bons ventos da energia eólica só são comparáveis ao que já está acontecendo com a solar. Em apenas dois anos, o número de instalações de painéis solares deu um salto de pouco mais de sete mil (7.400) para 49 mil unidades em todo o Brasil. Um aumento de mais de 560%.

O custo alto da energia elétrica no Brasil e os preços cada vez mais competitivos dos equipamentos solares explicam a multiplicação, por todo o país, de projetos como esse: o maior telhado solar do Rio de Janeiro, que está sendo instalado no maior mercado popular da Zona Norte da cidade. E a única razão para este investimento estar acontecendo é a gigantesca economia na conta de luz. Mais de 5 mil placas fotovoltaicas espalhadas por uma área maior do que o campo do Maracanã. A energia produzida daria para abastecer mil residências.

Mesmo com os custos de instalação e manutenção do sistema, a economia na conta de luz vai ultrapassar os R$ 4 milhões nos próximos 15 anos.

O estudo, inédito do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) revela que o Brasil está cumprindo o compromisso de investir em fontes limpas e renováveis de energia, um dos objetivos do desenvolvimento sustentável definidos pela ONU até 2030.

Fonte: https://g1.globo.com

Comentários Facebook